Sobre minha experiência com minha autoestima ( resumidamente, para  não ficar  um textão…que já ficou rs !)

Tive uma fase da minha vida que tinha falta de autoestima e também já caí muitas vezes na armadilha de achar que meu corpo me representava, única e exclusivamente. Nessa época  eu não aceitava meu corpo como ele era, eu não me sentia bem comigo, não me valorizava;  era como se nenhum dos outros aspectos importassem. E a verdade é que eu não sabia direito que outros aspectos eram esses.  Até que o meu autoconhecimento mudou minha realidade.

Passei a me entender, a me olhar, me ver como um ser completo: com corpo, valores, talentos, habilidades, alma, etc, etc. Ou seja, eu passei a valorizar outros aspectos da minha essência, e da minha existência. Eu aprendi, e reencontrei em mim, os três fatores que citei no post sobre autoestima 1 ( se você não leu, dá uma conferida pra entender melhor 😉 ). Lembrei quem eu sou, o que eu posso e quero fazer e como eu mereço ter uma vida leve, respeitando minha genética, minhas características e meus valores.

Então passei a me aceitar, a praticar o amor próprio, a me cuidar e me mimar de uma forma linda, literalmente!!!

 amor proprio

E a mudança foi incrível em todos os aspectos, postura, energia e  inclusive quanto ao meu corpo; pois de repente comecei até a ver mudanças no espelho, não porque meu corpo mudou, o que mudou foi a forma como eu me vejo. Porque hoje quando me olho no espelho eu vejo um corpo, mas eu vejo tantas coisas nos meus olhos e sorriso. Vejo além do espelho, vejo minha essência, me reconheço como um ser… em busca de coisas que tornem minha vida melhor, um mundo melhor. E se quero isso, começo por mim. Valorizando o meu melhor, que não é o corpo, não é o formato, mas é a essência, são meus valores, meu sorriso, minha alegria, minha motivação, energia e vontade de acordar todo dia e fazer um dia lindo de viver!

 

Ps1) Essa foto minha aqui no blog, eu postei porque para mim representa  uma vitória, um reflexo da minha aceitação e amor próprio ;).  De uma  transformação de alguém que de certa forma se sentia invisível, e que passou a se enxergar como uma mulher incrível, do meu jeito e linda aos meus olhos. Pois no  final das contas o que importa é como nos vimos!

auto estima e amor proprioA partir do momento que nossa autoestima aumenta,  do momento que nos enxergamos como um ser completo, os outros enxergam isso. Eu me sentia invisível, porque de fato eu não me via, então os outros também não viam. Eu não me valorizava, os outros também não o faziam.  É assim que funciona na prática.  Por isso fala-se tanto de amor próprio. Só  a partir do momento que nos amamos, o outro pode nos amar também.  

E mais uma vez eu  pude confirmar isso pelas mudanças nas minhas relações, no meu trabalho, e nos feedbacks das pessoas que conviviam/convivem comigo. Eu ouvi muitos comentários na época, de como eu havia mudado, de postura, de jeito, energia, de aura, etc  ( Sem contar os amigos que perguntavam se eu andava apaixonada. E sim, eu estava. Por mim mesma! ). Então, eu  passei a confirmar mais ainda como havia mudado, e a mudança era interna.

Ps2). E claro pessoal, ainda tem dias que eu acordo e me olho no espelho e comparo com o padrão de beleza imposto pelas mídias (pois como  falei no outro texto existe a dualidade, a mudança é gradativa e viver em sociedade tem dessas coisas, somos influenciados mais do que imaginamos). Então tem dias que penso que deveria cortar o chocolate da minha vida, que eu poderia ser mais “fitness”, que eu deveria falar menos, ser mais tipo “lady”, delicada e menos expansiva, isso ou aquilo….mas…normalmente são só uns momentos, ou dias, e passa. Acabo logo me relembrando de quem sou, do que quero, e do que me traz paz. No final das contas, o que me convence mesmo é quando lembro da minha essência, do significado da minha vida, da minha missão e quando me concentro nesse sorriso aí da foto 😉